19/02/2008

Atlântida - o continente perdido...
























Atlântida 


Talvez seja esse o maior mistério do mundo. Será que ela realmente existiu um dia? E se existiu o que de terá de fato acontecido? 


Existem outras civilizações e outros continentes perdidas, mas sem dúvida, é a Atlântida que chama mais a atenção.
Platão, o filósofo grego, descreveu em seu livro, "A Atlântida", diversas teorias que tratam da existência e desaparecimento do continente. Segundo os especialistas, a Atlântida teria desaparecido há mais ou menos 10.000 ou 12.000 anos atrás, e que as causas podem ter sido várias. A mais conhecida é a do continente ter sido submerso devido ao fim da última glaciação pelo qual o planeta passou. Há cerca de 80.000 anos atrás começou esse período, e acabou justamente entre 10.000 e 12.000 anos atrás. A consequência do fim do período glacial é o derretimento de grande parte do gelo acumulado e o consequente aumento do nível dos Oceanos. Daí a submersão do continente.
Outra questão que intriga e provoca discussões entre os especialistas, é sobre a localização do continente. A maioria acredita que a Atlântida teria se localizado onde hoje é o Oceano Atlântico (por isso o continente se chama Atlântida), entre os EUA e a Europa. Os estudiosos usam como argumento, o fato do litoral do brasileiro se "encaixar" quase com perfeição no litoral africano, e do litoral leste dos EUA não combinar com o litoral europeu.
Existem vários historiadores ou arqueólogos que viajam pelo mundo em busca de alguma prova ou até mesmo atrás da própria Atlântida. Alguns afirmam que o continente estaria localizado em alguma parte da América do Sul, já que segundo Platão "a Atlântida está a oeste do Atlântico". Alguns dizem também que a Atlântida poderia ser uma cidade, não um continente. Isso porque segundo geólogos seria impossível um continente inteiro afundar. Outros afirmam também que a história da Atlântida não seria nada mais do que um produto da imaginação fértil de Platão, que ele teria escrito a história da Atlântida para criticar a sociedade da época, já que a Grécia antiga era uma nação muito desenvolvida, e como toda nação desenvolvida, teria também suas corrupções.
Mas existem cidades que foram descobertas ao longo dos séculos que podem ser provas da existência da Atlântida. Um exemplo disso seria as ruinas de uma cidade de um antigo império existente no Peru, Tihuanaco. Esse antigo império era muito próspero, com uma sociedade muito desenvolvida. Encontra-se perto a alguns quilômetros das ruinas da cidade um grande canal que seria usado para navegação, para que navios pudessem ir a vários pontos do Império de Tihuanaco. Segundo especialistas esse canal é semelhante ao descrito por Platão em seu livro sobre a Atlântida.


A Civilização Atlante


Dizem que a civilização atlante tinha uma sabedoria muito avançada, tanto que todos se entendiam pela mente.. Com essa grande sabedoria realizaram grandes avanços em diversas áreas do conhecimento. Realizaram viagens espaciais, com intercâmbio com outros planetas do sistema solar.
A sociedade atlante era dividida em duas classes sociais: a dos homens de face resplandecente, ou de face amarela, que eram os mais espiritualizados; os de face tenebrosa, ou da face vermelha, que eram os poucos espiritualizados. Segundo antigos escritos, os de face tenebrosa teriam tomado o poder, obrigando os de face resplandecente a se refugiarem no interior das montanhas. Isso provocou uma grande divisão da nação atlante. Além dos conhecimentos na área científica, os atlantes também tinham grande conhecimento das forças da natureza. Mas, porém, com tanto conhecimento não conseguiram impedir que essas forças naturais destruíssem com tudo, e não deixando nenhum vestígio de sua existência.
Existem vários historiadores ou arqueólogos que viajam pelo mundo em busca de alguma prova ou até mesmo atrás da própria Atlântida. Alguns afirmam que o continente estaria localizado em alguma parte da América do Sul, já que segundo Platão "a Atlântida está a oeste do Atlântico". Alguns dizem também que a Atlântida poderia ser uma cidade, não um continente. Isso porque segundo geólogos seria impossível um continente inteiro afundar. Outros afirmam também que a história da Atlântida não seria nada mais do que um produto da imaginação fértil de Platão, que ele teria escrito a história da Atlântida para criticar a sociedade da época, já que a Grécia antiga era uma nação muito desenvolvida, e como toda nação desenvolvida, teria também suas corrupções.
Mas existem cidades que foram descobertas ao longo dos séculos que podem ser provas da existência da Atlântida. Um exemplo disso seria as ruinas de uma cidade de um antigo império existente no Peru, Tihuanaco. Esse antigo império era muito próspero, com uma sociedade muito desenvolvida. Encontra-se perto a alguns quilômetros das ruinas da cidade um grande canal que seria usado para navegação, para que navios pudessem ir a vários pontos do Império de Tihuanaco. Segundo especialistas esse canal é semelhante ao descrito por Platão em seu livro sobre a Atlântida.



As primeiras narrativas

De todas as lendas sobre povos e civilizações perdidas , a história de Atlântida parece ser aquela que mais interesse tem despertado. A primeira referência escrita deste mito encontra-se nos relatos de Platão . Nos diálogos Timeu e Crítias é narrada a fascinante história da civilização localizada "para além das colunas de Hércules" . É descrita a existência desta ilha continental , bem como os detalhes históricos de seu povo , com sua organização social, política e religiosa , além de sua geografia e também da sua fatídica destruição "no espaço de uma noite e um dia ". Eis parte do diálogo : "...Ouvi, disse Crítias, essa história pelo meu avô, que a ouvira de Sólon, o filósofo. No delta do Nilo eleva-se a cidade de Sais, outrora capital do faraó Amásis e que foi fundada pela deusa Neit, que os gregos chamam Atena. Os habitantes de Sais são amigos dos atenienses , com os quais julgam ter uma origem comum. Eis por que Sólon foi acolhido com grandes homenagens pela população de Sais. Os sacerdotes mais sábios da deusa Neit apressaram-se a iniciá-lo nas antigas tradições da história da humanidade .
Na tradição oral de muitos povos antigos , nos relatos de textos bíblicos, em documentos toltecas e nos anais da doutrina secreta , existem coincidências que nos fazem crer que outrora existiu um continente no meio do Oceano Atlântico , que um dia foi tragado pelas águas revoltas.



Atlântida ( O país, o povo suas Riquezas)

Geograficamente, Platão descreve a Atlântida desta forma : "toda a região era muito alta e caía a pique sobre o mar , mas que o terreno à volta da cidade era plano e cercado de montanhas que desciam até a praia , de superfície regular, era mais comprida do que larga, com três mil estádios na sua maior extensão, e dois mil no centro, para quem subisse do lado do mar. Toda essa faixa da ilha olhava para o sul, ao abrigo do vento norte. As montanhas das imediações eram famosas pelo número , altura e beleza, muito acima das do nosso tempo...".
segundo todos relatos , os atlantes desenvolveram-se de tal forma , que o grau de riqueza alcançado por sua civilização não encontra paralelo conhecido, sendo pouco provável que outros povos viessem a obter tamanha prosperidade e bonança.
A Atlântida possuia 10 reis . Estes soberanos por sua vez , possuiam dentro de seus domínios "um poder discricionário sobre os homens e a maior parte das leis , sendo-lhes facultado castigar quem quisessem, ou mesmo condená-los à morte".
O país dos atlantes era dividido em 60.000 lotes e cada um deles tinha um chefe militar .
O aspecto que mais fascina no relato platônico é sem dúvida o que se refere às riquesas da ilha-continente , tanto no que tange às construções , como aos imensos recursos naturais da legendária ilha .
Segundo Platão, a Atlântida possuía a capacidade de prover seus habitantes com todas as condições de sustento, apesar de receber de fora muito do necessário, provavelmente, através do comércio. Havia na ilha grande abundância de madeira que com certeza foram utilizadas nas imensas obras lá construídas, bem como imensas pastagens , tanto para animais domésticos , como para selvagens , incluindo aí a raça dos elefantes, que teriam se multiplicado pela ilha . Por sua vez, toda sorte de frutos, legumes, flores e raízes existiam alí, sendo que o fabrico de essências e perfumes era corriqueiro. A extração de minérios , em particular o ouro, ocorria fartamente em Atlântida.
Diz Platão que de início os atlantes "construíram pontes nos cinturões de mar que envolviam a antiga metrópole, a fim de conseguir passagem para fora e para o palácio real", bem como abriram um canal de três plectros de largura e cem pés de profundidade, ligando o mar ao primeiro cinturão de água, canal este que servia de entrada para embarcações vindas de outras partes. No segundo cinturão, os barcos podiam ancorar com maior segurança , e fazia deste uma espécie de porto.
As águas jorravam no centro da ilha, desde que Poseidon assim quis, também tiveram tratamento dos mais apurados : em suas imediações foram plantadas "árvores benéficas para as águas ", bem como foram construídas "cisternas para banhos quentes no inverno". Havia, contudo, locais próprios para os banhos dos reis, bem como modalidades específicas para as mulheres. Segundo o relato, "parte da água corrente eles canalizaram para o bosque de Poseidon a outra parte era canalizada para os cinturões externos por meio de aquedutos que passavam sobre as pontes ".
Nos cinturões externos de terra, foram construídos ginásios para práticas esportivas e hipódromos , bem como moradia para soldados, hangares para barcos e armazéns para todas as modalidades conhecidas de artigos naúticos. O canal principal que servia de entrada para embarcações era muito movimentado, tanto de dia como de noite, o que demonstra ter sido Atlântida um grande centro comercial de seu tempo.
O palácio real era segundo os relatos "uma verdadeira obra prima de encantar a vista , por suas dimensões e beleza. "
O templo dedicado a Poseidon era cercado por um muro de ouro, que segundo o relato , ele "tinha um estádio de comprimento e três plectros de largura para fora, todo o templo era forrado de prata, com exceção dos acrotérios, que eram de ouro. No interior , a abóboda era de marfim, com ornamentos de ouro, prata e oricalco. "
Havia também no templo estátuas dedicadas a diversas divindades, bem como outras que homenageavam os reis e suas esposas, além de um altar cuja beleza e magnificência não encontrava paralelo conhecido. Essa é resumidamente a Atlântida de Platão, com seus detalhes e maravilhas.


As eras glaciais e a Atlântida

Denomina-se eras glaciais os períodos em que grandes regiões do planeta estiveram sob um processo contínuo de glaciações , fenômeno este resultante de causas múltiplas e complexas : movimentos orbitais da terra, continentalidade dos polos, elevação de terras, circulações oceânicas, mudanças na composição da atmosfera e outras.
Ocorreram na história do planeta diversas fases deste fenômeno, desde o período pré-cambiano até bem recentemente. No entanto, dado as dificuldades a pesquisa científica só conseguiu definir de forma minuciosa a última grande glaciação, que ocorreu durante o pleistoceno.
Uma glaciação inicia-se quando após um rigoroso inverno, a neve acumulada não se derrete totalmente com a chegada do verão , sobrevivendo até o outro inverno na forma de gelo. Este fato, resfria a região e num acúmulo sucessivo de milhares de anos forma-se uma calota de gelo, cada vez mais resistente criando impactos de resfriamento cada vez maiores.
Há cerca de 80.000 anos atrás , iniciou-se o último grande avanço das geleiras nas regiões norte do planeta, tanto na Europa como na América do Norte, sendo que o fim desta última glaciação deve ter ocorrido entre 20.000 a 10.000 anos atrás .O fim da Glaciação implica na subida do nível dos Oceanos . Esta última é a data factídida da Submersão da Atlântida.
Levantamentos geológicos dão indícios de que durante a última glaciação , a expansão das geleiras atingiram latitudes aproximadamente iguais tanto na América do Norte como na Europa. Dessa forma é possível supor que os efeitos da corrente do golfo não atuavam de modo satisfatório junto ao noroeste europeu naqueles tempos . Esta constatação nos leva a uma interessante hipótese : a não existência da corrente do golfo naqueles tempos , ou a impossibilidade desta corrente alcançar a Europa , na medida em que seu curso fosse alterado por algum bloqueio em pleno oceano Atlântico . O tamanho do bloqueio só poderia ser uma grande massa continental , que bem poderia ter sido a Atlântida .

20 comentários:

aafurtado disse...

A Teoria da Desestabilização Geológica que pode ser encontrada na íntegra no link:
http://desestabilizacaogeologica.blogspot.com pode ser uma explicação plausível para o desaparecimento de Atlântida. Encaixar-se-ia perfeitamente com a possibilidade de que este possível continente fosse em verdade uma grande ilha vulcânica, o que estaria perfeitamente em acordo com a formação geológica do leito do Atlântico Norte. Neste caso, Atlântida teria desaparecido durante o processo de deflagração da última glaciação entre vinte e vinte e cinco mil anos atrás.

Silvânia disse...

Tudo faz sentido, mas levando em conta que acima do fisíco existe o espiritual, e que fez necessário esse acontecimento com Atlântida...
É uma pena ainda haver indagações sobre a veracida da existência da Atlântida, se existiu ou não...

Jorge Faria disse...

Acredito piamente na existência de Atlântida, assim como tenho certeza da existência de Lemúria, na mesma época.
Lémúria foi engolida pelas águas devido ao baixo nível espiritual de seus governantes, em detrimento do lado material, da ganância pelas riquezas e pelo poder.
Os irmãos Zílio e Zirat, sob influência do espírito do Pai, praticavam Magia Negra e sacrificavam virgens, que eram oferecidas e entidades monstruosas que se materializavam e sugavam todo o seu sangue.
Isso pode ser comprovado no livro de Nelson Moraes "Há Dez Mil Anos", onde o espírito Zílio não é nada mais nada menos do que o nosso roqueiro Raul Seixas numa encarnação passada. Portanto a música ""Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás", não foi por acaso.
Leiam e comprovem... Abraços!!!

Jessy Rodrigues disse...

Olá, entrei a pouco tempo no seu blog e li duas matéria realmente interessantes, gostaria de conversar um pouco mais sobre isso e adoraria q me add no msn: winx_jessy@hotmail.com
Meu nome é Jéssica, e espero q possamos trocar idéias sobre assuntos como o do seu blog!!!

Silvânia disse...

Oi Jéssica...
Seja mto bem vinda ao meu blog!
Te add no msn ta!
Assim poderemos conversar mais!
Bjs no seu coração!
E obrigada pelas palavras!

Anônimo disse...

Espiriyualmente, de onde viera o povo de Atlândida e qual seria seu desenvolvimento científico...
avelino.lima@hotmail.com

Anônimo disse...

Que loucura!

Acho melhor colocar os pés no chão!
Tania Maria

Laura Rodrigues disse...

Para Jorge Faria. Como assim "o nosso roqueiro Raul Seixas"? Só pelo nome da músicas? Para mim é confuso entende a existência de um outro continente, apesar das provas que botaram no texto acima. Mas por que a ciência não crê nisso (Atlântida)? Não acredito muito na existência desse continente ou ilha. Parece meio "viajem". Bem, não sei.

Silvânia disse...

Olá Jorge Faria...
Assim como você, também creio muito na existência de Atlântida e Lemúria,
são continentes que existiram sim, e que foram engolidos pelas águas do mar, devido ao baixo nível espiritual ali existente, a ganância pelo poder, magia negra, entre outros.

Silvânia disse...

Avelino,
Como sabemos a Terra recebeu no seu seio espíritos exilados de muitos mundos, muitos que estagiavam em Atlântida era os Exilados de Capella, espíritos rebeldes que não acompanharam a evolução espiritual do seu planeta que entrava num mundo de regeneração, sendo exilados para mundos inferiores, no caso a Terra.
No entanto, aqui na Terra, trouxeram um progresso muito grande para nosso Planeta.

Silvânia disse...

Tania Maria...
Sei que pode parecer loucura tudo aqui registrado, mas tenha certeza que tudo um dia aparece, nada fica descoberto por muito tempo, e a existência de Atlântida um dia, eu penso que será fato incontestável.

Silvânia disse...

Olá Laura Rodrigues...
O livro que Jorge Faria se refere: "Há Dez Mil Anos" é um livro psicografado de Nelson Moraes, pelo espírito Zílio (no caso Raul Seixas).
Leiam o livro, que ele conta muito coisa a respeito desse tema.
Além do mais, indico um que é muito bom:
"A caminho da Luz", de Chico Xavier, pelo espírito Emmanuel...este livro traz uma visão de tudo que já passou nosso Planeta, e tempos imemoriais aos nossos dias atuais, é um ótimo livro para estudo e reflexão.
Abraços fraternais,
Silvânia.

zelu disse...

.....já li "A caminho da Luz" e tambem acredito piamente na existência de Atlantida, exatamente entre America do Norte e Europa, só não entendo porque não fazem buscas no fundo do Atlântico para que realmente esse fato seja comprovado e consequentemente enriquecer nosso histórico planetário....Saudações/zelu

Silvânia disse...

Olá Zelu...assim como você também não compreendo porque órgãos competentes não afirmam nada a respeito de Atlântida, mas tenha certeza, no momento certo será uma verdade incontestável...
Abraços fraternais,
Silvânia.

Glauco disse...

Você consegue ver no Google Earth grandes cordilheiras submesas no oceano ligando o norte do Brasil até a Irlanda, e o que sobrou desse continente são as ilhas do leste europeu (canárias / açores).

Silvânia disse...

Boa tarde Glauco!
Também tive a oportunidade de ver pelo Google Earth algo parecido com essa cordilheira,no entanto a ciência não comprova oficialmente, mas tenha certeza, que no momento certo essas verdades serão fatos incontestáveis, não há como negar a existência de Atlântida e Lemúria, há inúmeras literaturas referentes sobre o tema, mesmo Platão afirmou a existência de um continente engolido pelas águas do mar...
Um forte abraço!
Silvânia.

Anônimo disse...

Bom acredito que possa existir esse continente sim mas não envolvendo espiritualidades,No passado a cidade de Troia na grecia era apenas um mito sem nenhuma prova de sua existencia hoje sabemos que ela realmente existiu e foi uma das principais cidades gregas!!!!

Silvânia disse...

Caro Anônimo...
A verdade de uma forma ou de outra e no tempo exato aparece, ela se descortina...
Linda semana para vc!
Abraços Fraternos,
Silvânia.

Anônimo disse...

Até acredito que Atlântida e outras cidades possam ter existido no passado, sabemos tão pouco sobre o mundo...agora sobre o fato de ela ter sido engolida pelo mar por causa do mal comportamento de seus moradores acho muito difícil, afinal há muitos anos sabemos de várias atrocidades cometidas por diversos povos e eles permanecem sobre a terra, quanto ao comentário sobre ganância e corrupção ser o motivo do fim daquela civilização de forma tão catastrófica..devemos então mudar de continente rsrsrs pois o Brasil no rumo que vai pode ser o próximo

Silvânia disse...

Olá Anônimo, a Atlântida de fato se afundou devido à atraso moral daquela civilização, o Brasil claro não é nenhum exemplo de moralidade, mas a evolução é eterna, e estamos entrando num mundo de regeneração, por tanto vamos despindo de nós nossos inimigos interiores, como arrogância, orgulhos, ciúmes, inveja, etc., através da nossa evolução moral...
Que Jesus esteja sempre com você !
Abraços Fraternos,
Silvânia.

Postar um comentário